domingo, agosto 28, 2005

ping ping, poupando água no jardim


Porque a seca se torna cada dia mais crítica, acrescentam-se algumas boas práticas que permitirão diminuir o consumo de água no jardim:

minimizar a necessidade de água
- só um solo saudável, rico em matéria orgânica, consegue conservar a água de forma eficiente. Por isso, uma das principais tarefas será melhorar a estrutura do solo misturando-o com composto ou estrume. Desta forma, a humidade será melhor absorvida e a água chegará às raízes. Embora este princípio seja genericamente válido para quase todos os tipos de solos, haverá alguns que, por serem demasiado argilosos, necessitam ainda de um pouco de areão para impedir que seque com o calor.
- cobrindo a superfície do solo, em torno das plantas, evita a evaporação e optimiza a poupança de água. Assim, deve-se espalhar estilha, cascas de árvore, gravilha ou outro tipo de cobertura à volta da base das plantas.
- as ervas daninhas competem com as plantas pelo consumo de água. Por isso, devem ser arrancadas (a cobertura do solo tem também a vantagem de prevenir o seu aparecimento).
- as plantas autóctones estão melhor preparadas para enfrentar as condições do local onde são plantadas. Em tempo de seca, a escolha de novas plantas deverá incidir nas espécies mediterrânicas, mais habituadas ao calor e falta de água.
- a acção perniciosa do vento pode ser diminuida através da instalação de tapa-ventos artificiais ou naturais. As sebes de alfazema, tomilho ou rosmaninho dispostas em volta dos canteiros não permitirão que o vento seque as plantas.
- as trepadeiras devem ser plantadas um pouco afastadas das paredes e muros, que absorvem igualmente humidade.
- a relva não aparada e alta faz mais sombra no relvado, diminuindo a sua necessidade de água.

rega eficaz
- a rega pela manhã cedo ou ao final da tarde evita a evaporação pelo excesso de calor.
- a necessidade de água varia de planta para planta. Muitas não precisam de ser regadas todos os dias.
- a rega por aspersão deve ser substituida por rega directa. A primeira gasta demasiada água e dirige-a normalmente para as folhas e não para o solo. Em alguns casos, é aconselhável a escavação de uma cova à volta da planta para que a água se concentre aí.
- é preferível uma rega abundante mas esporádica do que uma rega frequente mas em pequenas quantidades. Isso permite que a água penetre no solo, o que evita que a planta tenha de procurar água na superfície (e, consequentemente, desenvolva o seu sistema de raízes à superfície do solo).
- a instalação de um sistema de rega gota-a-gota pode ser uma solução interessante, particularmente para as hortícolas. No entanto, uma instalação deficiente pode arruinar qualquer boa intenção de poupança!

Para mais informação, consultar:
ROBINSON, Peter - Jardins resistentes à seca - Sugestões criativas para o cultivo de plantas resistentes à seca. Porto: Dorling Kindersley-Civilização Editores Lda., 2002
GREEN, Charlotte-Gardening Without Water. Search Press, 1999

1 comentário:

Ambientalistas da Amadora disse...

Excelentes dicas!

http://ambientalistasdaamadora.blogspot.com/