terça-feira, julho 19, 2005

comprar joaninhas


A joaninha é geralmente conhecida como o mais importante auxiliar para luta biológica. Se a criação de habitats através da plantação de sebes ou outras plantas que atraem joaninhas falhou, pode experimentar outra solução: a aquisição de larvas de joaninhas. Em Portugal, poderá encomendá-las na Campo Oeste (Torres Vedras). O contacto é Apartado 23. Sobreiro Curvo. 2564-908 A-dos-Cunhados, telef. 261 981 545. Brevemente darei informação sobre o preço, bem como sobre outros auxiliares, pragas por eles combatidas e plantas de acção fitossanitária.

(Preço confirmado: uma embalagem de 250 larvas custa €44)

terça-feira, julho 12, 2005

{{ bloom }}


bloom - arte e jardins efémeros apresenta-se pela primeira vez, em edição experimental, nas Oficinas a Vapor da Fábrica da Pólvora de Barcarena, em Oeiras. bloom é uma iniciativa do atelier Traços na Paisagem e pode ser visitada até 31 de Julho. Grandes expectativas!!!

receitas da horta


Aconselho a experiência: converta um pequeno espaço de terra em horta! As vantagens são imensas:
- decide o que planta e como planta,
- consome legumes frescos (sempre à mão), que não perdem qualidades com o intervalo de tempo entre a colheita e o consumo,
- os produtos não contém tóxicos, se optar pelos preceitos da agricultura biológica,
- investe o seu tempo livre numa actividade saudável,
- conhece e dá a conhecer os ciclos naturais, desde a semente até ao aparecimento do fruto e seu consumo.

gaspacho (para a Suzana com z)
Tire a pele e as sementes a 1,5 kg de tomates bem maduros. Um dos tomates deverá ser cortado em cubinhos e posto de lado. Tire as sementes a um pimento verde e corte metade em cubinhos. Descasque um pepino médio e corte metade também em cubinhos. Descasque uma cebola pequena, pique metade e coloque com os outros legumes cortados em tigelas à parte. Desfaça num liquidificador o resto do tomate, pimento, pepino e cebola com 3 dentes de alho, uma pitada de sal e 4 colheres de sopa de bom azeite. Deite o puré numa tigela e junte 4 colheres de sopa de vinagre. Mexa e junte água fria em quantidade suficiente para fazer a sopa segundo a consistência que desejar.

Entretanto, corte pão em cubinhos e torre no forno. Sirva a sopa numa terrina, acompanhada de tacinhas com os legumes e o pão. Se quiser, polvilhe a sopa com coentros.

taboulé
Prepare 200 gr de couscous (sémola de trigo) segundo as instruções da embalagem. Lave 3 tomates e corte-os em cubinhos muito pequeninos. Faça o mesmo a um pepino. Coloque Descasque 100 gr de cebolas e pique-as. Lave um raminho de salsa e outro de hortelã e pique-os também. Coloque o couscous, os legumes e as ervas numa taça. Regue com o sumo de 1 limão. Tempere com 4 colheres de sopa de azeite e mexa. Tempere com sal e pimenta e sirva fresco.

sexta-feira, julho 08, 2005

respiguemos*?


Em plena semana da reunião do G8, veio mesmo a propósito o link apontado pelo José Rui Fernandes para o projecto Fallen Fruit . Lançado por um grupo activista norte-americano, este projecto incentiva os habitantes das cidades a lutar por jardins comunitários e a exigir a plantação de maior número de árvores de fruto nas ruas, jardins e parques. E presta um "serviço público" original: cartografa e mantém actualizada uma base de dados sobre os terrenos privados onde a fruta se encontra disponível a todos os que a queiram apanhar.
Sobre o mesmo tema, e também sobre a recuperação urbana e as margens da sociedade de consumo, acrescento a referência a dois documentos essenciais: "Os respigadores e a respigadora" e "Deux ans après" de Agnès Varda. 'On cherche le déchet, on trouve le cœur.'


*respigar: apanhar as espigas deixadas no campo depois da ceifa

07/07 london


against fear.

marianne moore, in poems on the underground

segunda-feira, julho 04, 2005

festival internacional de jardins


Fui espairecer até Ponte de Lima, tendo como pretexto o festival de jardins. Encontrei uma vila muito agradável, que bem preza o seu património e sabe aproveitar a sua condição ribeirinha a favor dos habitantes locais e visitantes. Muita gente nos parques e jardins, canoas e banhistas no rio, uma pequena feira de artesanato que divulgava os produtos locais.
O Festival decorre num recinto fechado, na outra margem do rio, junto ao animado clube náutico. Como se trata do ano 0, todos os projectos de jardins efémeros são da responsabilidade da organização que assim pretende demonstrar a potencialidade criativa a futuros concorrentes.

Resultou deste festival imaginário um belíssimo catálogo que contém também fotos dos 50 hectares de jardins e espaços ajardinados de Ponte de Lima.
De reconhecer o pioneirismo da iniciativa e de desejar que contribua para sensibilizar os nossos autarcas para a requalificação dos espaços verdes, de um forma criativa que incentive os cidadãos a gozar a vida ao ar livre. Tal como as diversas edições da Lausanne jardins, por exemplo.